quarta-feira, 22 de junho de 2016

O livro e as feiras do livro de Sicó: notas e reflexões



É um tema que regularmente faço questão de abordar no azinheiragate, já que afinal os livros, a leitura dos mesmos e a língua portuguesa representam o que de melhor podemos ter na nossa vida e no abrir de horizontes. Hoje acrescento também o tema das feiras do livro na região de Sicó.
Mas comecemos da melhor forma, com um fantástico livro dedicado à região de Sicó, onde o património geomorfológico é rei. Tive o privilégio de ter sido presenteado com este exemplar, facto que agradeço humildemente e publicamente ao seu autor, o Prof. Doutor Carlos Silva. Confesso que começo a sentir-me "velho", pois já cheguei à fase onde, regularmente, começo a ser prendado por livros de autor, boa parte deles sobre património.
Este livro junta vários aspectos que, para mim, são fundamentais, o gosto pelo Maciço de Sicó e por todo o seu património (não se restringindo à geomorfologia), a paixão pela geomorfologia e pelo património geomorfológico e a acção de um verdadeiro geógrafo, que divulga e promove o que melhor conhece. E também algo de crucial, a recusa do "acordo" ortográfico. 
Para quem estiver interessado, e tendo em conta a pertinência do livro, fica a informação:

Sicó - Lugares Notáveis do Património Geomorfológico
Pedidos a https://www.facebook.com/adpcnsoure/fref=ts (Associação de Defesa do Património Cultural e Natural de Soure)
234 páginas - preço: 12 euros


Tendo iniciado da melhor maneira, continuemos assim mesmo, com a questão das feiras do livro. Recentemente tivémos duas feiras do livro, uma em Pombal e outra em Ansião. Quanto à de Pombal, infelizmente não pude ir, portanto não vou falar do que não vi nem vivi (embora tenha obviamente estado minimamente informado sobre o que por lá se passou).
Relativamente a Ansião, felizmente consegui ir, tal como tento sempre fazer. A primeira visita foi mesmo na sexta-feira, mas já à noite, mais precisamente por volta das 23. Infelizmente não havia pessoas por ali, já estava tudo enfiado em casa, possivelmente no sofá.
Comi uns churros na roulote que por ali estava e meti conversa com o dono, de forma a perceber como é que a feira estava a correr nesse dia. O tempo não tinha ajudado, é certo, mas a maior parte do público tinha sido das escolas.
No sábado voltei à feira, pois no dia anterior não tinha visto expositores com atenção. Corri todos os expositores e acabei por comprar dois livros (sem "acordo" ortográfico à mistura) a bom preço, contrariando o que, por vezes, é um estereótipo, ou seja o preço desajustado dos livros.
Mesmo neste dia, e estando o tempo razoável, havia apenas 3 ou 4 pessoas por ali. Durante a meia hora que por ali estive, foram apenas meia dúzia de pessoas que andaram a "cuscar" os expositores, em busca de um livro que valesse a pena. Havia livros para todos os gostos.
No final fiquei com a ideia que este já não é o melhor modelo para uma feira do livro em Ansião, urge juntar um bocado de criatividade a esta iniciativa, de forma a trazer mais pessoas junto dos livros. Não é uma tarefa fácil, mas é possível e claramente desejável.
Um bem-haja a quem ainda faz questão de organizar feiras do livro na região de Sicó!



Sem comentários: