sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Azinheiragate em destaque na RTP2


Foi uma sensação algo estranha quando um colega meu me disse através do messenger que o meu (e vosso!) blog tinha acabado de passar no programa Biosfera da RTP2, algo que sinceramente não estava à espera, pois este é um blog humilde que pretende fazer passar uma mensagem positiva e com isso mudar as mentalidades para melhor, só assim poderemos levar esta região para a frente! Quando aconteceu o abate de azinheiras na Serra de Ariques, o caso foi falado, por alto, neste programa, curiosamente foi também o meu colega que me avisou, pois por vezes não consigo ver o Biosfera.
Como não tive a oportunidade de ver, fui consultar o site da RTP e vi que os episódios estão disponíveis para visualização a quem os queira visionar, e, por isso fui ver pelos meus próprios olhos, foram 40 segundos que me deram mais força ainda nesta tarefa que é divulgar os bons e maus exemplos ocorridos aqui na região de Sicó.
O episódio que fala sobre o azinheiragate é o de dia 28 de Janeiro, o qual volta a passar no Sábado, dia 31 de janeiro, às 10:15 na RTP2:
Para quem não puder ver, que será a esmagadora maioria dos visitantes do blog, fica o excerto do vídeo:

Penso que este facto mostra a visibilidade que este blog já tem, no início do blog perguntava-me um "leitor" do porquê de eu não colocar um contador de visitas para ver afinal qual o número de visitantes deste blog (em jeito de desafio), considerei que não só não era minha intenção, mas também não ser a altura mais indicada, pois o blog necessitava de amadurecer. Mas no dia 11 de Dezembro de 2008 (quase 11 meses depois), não resisti o coloquei o tal contador de visitantes, coisa que poucos de vós terão notado, pois está lá bem no fundo. A conclusão que tiro agora é que deveria ter mesmo colocado um contador de visitantes logo ao início, pois desde que o coloquei (50 dias) este blog já ultrapassou a barra dos 1000 visitantes (entre 20 a 30 por dia em média). Penso que, para um blog não comercial esta é uma marca substancial, além disso já começa a incomodar alguns prevaricadores...

Mas não pensem que vou ficar ofuscado pelo reconhecimento deste blog, considero que os objectivos a que me propûs (divulgar e denunciar casos relacionados com ambiente, património e cultura) estão a ser cumpridos, e, com isso dou um contributo positivo para o desenvolvimento da região de Sicó. Quem me conhece sabe que sou uma pessoa simples e que estou aqui neste blog não por mim mas sim por vós, por isso a minha dedicação.

O meu muito obrigado ao meu grande amigo Paulo Tito Morgado, pois a motivação deste blog deve-se fundamentalmente à sua atitude face ao património natural e cultural, o abate das azinheiras é algo que o vai acompanhar pela negativa por muitos anos, sendo também o início do seu fim enquanto político...

Voltando à Terra, em Fevereiro faz um ano sobre o início do blog, irei aproveitar as "comemorações solenes" para vos dar mais novidades, uma delas é a nova temporada 2009 no youtube, a qual.... já começou!

O carinho e interesse que tenho sentido da parte de muitos de vós só me dá mais motivação a fazer mais e melhor neste blog, contribuindo assim de forma positiva para a desejada mudança de mentalidades, pois não é sendo passivos que resolvemos os problemas...

domingo, 25 de janeiro de 2009

Condeixa-a-Nova: património natural vandalizado repetidamente

É concerteza tarefa ingrata, especialmente para um geógrafo, falar sobre questões como a que agora vos falo. Já tinha notado o vandalismo que ocorria num dos locais mais importantes (no que concerne a locais de interesse geomorfológico) da região de Sicó, mas o facto de ter visto desta vez o mal amado grafitti, mexeu mesmo comigo.
Denominado como Vale das Buracas ou Buracas do Casmilo, em Condeixa-a-Nova, este local tem enorme importância em termos científicos, arqueológico e cénico, mas a abertura à poucos anos de um caminho, dito florestal, alterou para pior um local simplesmente belo, como são as Buracas do Casmilo. Por vezes, mesmo que sem intenção, abrem-se estradas que facilitam demasiado o acesso a locais como este, acontecendo logo de seguida acções de vândalos como as observadas na fotografia abaixo, algo de profundamente lamentável.
Muitas vezes nem falo de locais como este precisamente para evitar que muitos saibam da sua existência, algo que nós investigadores por vezes somos obrigados a fazer para permitir a sua protecção.
Os acontecimentos ocorridos poderiam ter sido evitados se existisse uma estratégia de geoconservação, a qual permite não só a protecção de locais como este mas também uma planeamento cuidado destes locais, permitindo as visitas sim, mas de uma forma condicionada (tendo em conta a capacidade de carga deste local). Nesta temática estou perfeitamente à vontade, já que a minha dissertação de mestrado versou precisamente nesta questão, a valorização e divulgação de locais de interesse geomorfológico.
Fica então a nota quer à Junta de Freguesia do Furadouro, responsável pela preservação deste local, quer também à própria Câmara Municipal de Condeixa-a-Nova.
Complemento com um facto importante, o de quem eu não só critico construtivamente o que há para criticar, como também posso ajudar a resolver algumas destas questões, fica a nota importante, pois não basta criticar ou chamar a atenção, há que nos mexermos!




domingo, 18 de janeiro de 2009

É mentira sr. presidente!

Após visita ao local e através do diálogo com vários moradores, chega-se muito facilmente à conclusão que as afirmações do meu amigo Tito Morgado, no que se refere ao caso adiante referido, não correspondem à verdade, algo que este meu grande amigo infelizmente já nos habituou.

Começando pelo início da história:

«Ovelhas e cabras albergadas no meio do casario em Alvaiázere
Moradores denunciam “currais clandestinos”

Moscas, barulho e um mau cheiro “insuportável” abalam a “tranquilidade e o bem-estar” de
alguns moradores de Aveleira, Alvaiázere, que habitam paredesmeias com um curral de ovinos e caprinos. A queixa partiu de Joaquim Silveiro e Maria dos Anjos Silveiro, que dizem ter perdido o sossego desde que em 2005, ao lado da sua casa, foi construído um barracão. Garantem que o espaço, inicialmente destinado a guardar alfaias agrícolas, está a servir de exploração de gado ovino e caprino. De acordo com os moradores, os “currais clandestinos” “não estão em conformidade com a lei em vigor e são um atentado à saúde pública”. No local existe uma fonte onde algumas pessoas se abastecem, mas que “por norma está em mau estado, com resíduos das cargas e descargas de animais”. O mau cheiro e o barulho dos camiões que transportam animais de madrugada não os deixa dormir, acrescentam. De acordo com o Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas, a Divisão de Intervenção Veterinária de Leiria recebeu em Janeiro de 2007 uma carta de Joaquim Silveirio, denunciando o caso. O Ministério informou a delegada de Saúde, já que a missiva referia problemas de saúde pública.
Fernanda Pinheiro, técnica de saúde ambiental do Centro de Saúde de Alvaiázere, confirma ter visitado o local em Outubro de 2007. Depois dessa visita, a técnica explicou à delegada de Saúde que havia prejuízo para o queixoso. A delegada pediu por sua vez à autarquia que notificasse o proprietário. “Pensava que o caso tivesse ficado resolvido”, diz Fernanda Pinheiro.

O presidente da autarquia, Paulo Tito Morgado, explica que o barracão em causa tem mais de
30 anos e só alberga animais quando o proprietário tem excesso de gado. Além disso, após várias visitas feitas ao local, “apenas uma vez” foram detectados ovinos e caprinos no referido barracão, nota o presidente. “A curto prazo a situação estará resolvida”, acredita o autarca.
»
In: Jornal de Leiria, edição 1276

Obviamente que vemos que aqui há contradições entre o que os habitantes dizem e o que o meu estimado amigo Tito Morgado diz, mas nada melhor do que ir ao local e constatar os factos:

- É falso que o barracão em causa tenha mais do que 30 anos, efectivamente tem pouco mais do que 5 anos e é efectivamente uma obra ilegal, já que foi licenciada para armazém de alfaias agrícolas.

- É falso que só alberga animais quando o proprietário tem excesso de gado, já que efectivamente é um curral utilizado de forma permanente no meio de um lugar e não usado apenas uma vez.

- Além destes factos, constatei que mais abaixo, no meio de um pinhal está a ser feita uma obra, do mesmo dono do curral, a qual não me parece que seja legal, já que não tem o aviso obrigatório de obra, será que é mais um curral ilegal?

Seguem-se as imagens do caso, pois uma imagem vale mais do que mil palavras e o meu amigo Tito Morgado frequentemente é desmentido com fotos e/ou vídeos que mostram que muitas das suas afirmações não correspondem à realidade constatada no terreno, arruinando a sua credibilidade enquanto autarca.


Mesmo quem nunca trabalhou nas obras sabe bem ver que esta obra é recente.... felizmente que eu já trabalhei nas obras e sei bem do que falo!

Que coisa é aquela lá no meio dos pinheiros, outro curral ilegal em construção, onde está a respectiva licença?


É lamentável que situações como esta ainda ocorram em vários locais, Alvaiázere é apenas um bom local de estudo onde se podem encontrar várias situações como esta, lesivas para as populações e para o ambiente (irei apresentar muitas mais...). São casos como este que descredibilizam em grande parte quem nos (des)governa, felizmente que, no caso de Alvaiázere, se começa a assistir a uma contra-corrente que visa acabar com mentalidades de tipo autoritário que pensam que o tempo do quero, posso e mando, ainda é actual....

Os meus parabéns a quem, como eu, não se resigna, pautando-se por uma postura correcta e que visa só e apenas resolver os seus (nossos) problemas do dia-a-dia, contrariando desta forma mentalidades do tempo do fascismo.

Quem não deve não teme, portanto não sejam passivos em situações como esta, sejam sim activos, só assim o país anda para a frente!

Uma coisa concordo com o Tito Morgado, a situação vai ser resolvida no curto prazo, mas não é devido à sua acção, vai ser sim devido à acção de cidadãos livres e imparciais, onde me incluo ...eu!!

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Um caso inaceitável em Ansião (e não Penela...)


Sinceramente fiquei chocado quando vi o que a foto retrata, a contrução de uma "represa", muito provavelmente para estrume de animais, isto em plena Rede Natura 2000, no concelho de Ansião (e não Penela) a apenas 500m de um antigo campo de futebol, a pouco mais de 1km do lugar do Pião (Lagarteira, Ansião). Não me parece, de todo, que esta obra esteja legal e por isso justifica-se a devida fiscalização quer da Câmara Municipal de Ansião, quer do Instituto da Conservação da Natureza e Biodiversidade, este último que tutela a RN 2000.
Derivado do facto de este local se situar fora da vista de muitas pessoas, decidi então voltar ao local de forma a fazer o devido registo fotográfico de forma a vos mostar o que se passa, pois considero isto inaceitável do ponto de vista ambiental. Havendo um local próprio para deposição e tratamento deste género de resíduos, como se justifica que alguém esteja a fazer isto? É um local extremamente belo, mas o facto de estar longe de caminhos frequentemente percorridos torna-o muito vulnerável a atentados ambientais como é este caso. O cheiro denuncia este local, dado o depósito actual de estrume a poucos metros, curiosamente a toponímia do local é Roça Cú, inacreditável....



Espero agora que as entidades responsáveis apurem as responsabilidades, pois já chega de ver aberrações como esta em locais muito sensíveis do ponto de vista ambiental! Se fosse perto de vossa casa ignoravam isto?

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Grupo Protecção Sicó: um grupo fundamental na defesa do património


Já tinha pensado num novo tema para introduzir no blog de todos nós, um tema relacionado com todos aqueles que efectivamente defendem o património da região de Sicó. Inicio desta forma uma abordagem sobre aqueles que realmente merecem respeito por toda a dedicação e paixão que têm na defesa intrasigente do vasto património de toda a região.
Nada melhor do que começar com o Grupo Protecção Sicó (GPS), um grupo de espeleólogos que se dedica há vários anos fundamentalmente na descoberta do que eu denominei na minha tese de mestrado como a "metade esquecida do carso". Muitas pessoas não os conhecem, é pena, pois mais do que ninguém eles conhecem quase tudo o que há para conhecer, não se restringindo, no entanto, às grutas.

Para quem não conhecer sugiro o site e o blog deste grupo, onde podem ver efectivamente que há massa crítica que é importante ajudar e promover, pois o seu potencial enquanto conhecedores do território é enorme.



Pessoalmente diria que neste grupo seria possível reunir uma equipe que daria cartas na gestão territorial de toda a região, colocando a um cantinho muitos autarcas que apenas estão no poder por interesse e não por paixão, como poderia ser o caso desta equipe. Além disso não são corruptíveis, caso de muitos políticos.

Até 2007 desconhecia o GPS, mas quando dei a ideia de um eventual geoparque para a região de Sicó, logo entraram em contacto comigo para troca de ideias, desde então fiz grandes amizades e uma coisa vos garanto, são pessoas com princípios e que gostam efectivamente da região. Já fizémos actividades científicas em conjunto, além de um artigo científico que em breve terão a oportunidade de ver, já que é uma iniciativa ímpar a nível nacional.

Podem dizer agora alguns de vós, será que é justo eu estar a dar visibilidade a amigos meus? Sim, é justo, pois eu dou visibilidade (ainda mais) a quem efectivamente é competente, pois tenho muitos amigos, mas poucos são efectivamente competentes, eu não misturo as coisas. Dou-lhes mais visibilidade pelo facto de serem competentes e sérios e não por serem amigos, aliás eles nem sequer imaginam que estou a publicar este post.

Agora uma sugestão minha áqueles que perdem o seu tempo nos cafés sem fazer nada, porque não partir à descoberta da "metade esquecida do carso"? Muitos de vós perdem tempo com coisas supérfluas em vez de fazerem como este grupo, que além de não perder tempo com coisas supérfluas, mostra coisas importantes que mais ninguém conhece, algumas delas que podem contribuir para que a região se desenvolva no bom caminho, longe de interesses e outras coisas mais que só nos fazem perder tempo.

Vão ver que não dão o vosso tempo por perdido, explorem um mundo que vos garanto, é mesmo maravilhoso! E não digam como um pseudo autarca que uma vez disse à minha frente e à frente de um professor universitário que «só cá vem quem não foi a outros países», pois de ignorantes o mundo está cheio. Eu já fui a alguns países muito bonitos em termos de património natural, como por exemplo a Noruega, Suiça, Eslovénia, Croácia, etc, e uma coisa vos garanto, passei a gostar ainda mais da região de Sicó, mesmo apesar da destruição que estes autarcas têm vindo a promover a troco de meia dúzia de tostões...


Legenda: Algar lá para os lados de Ansião (não vou dizer aonde senão....)

sábado, 3 de janeiro de 2009

Começar o ano da melhor forma, aprendendo com quem sabe!

Para mim, a melhor forma de começar o ano é mesmo a aprender mais um bocado. Há quem pense que já aprendeu tudo, mas afinal estamos a aprender desde o momento em que chegamos a este mundo, até ao momento em que vamos embora. Quem pensar o contrário está apenas a enganar-se a si próprio!

Uma das minhas prioridades desde há vários anos é a educação ambiental, aposto muito, além dos adultos, nas crianças, pois são elas o futuro. Das várias acções em que já estive envolvido, as que mais tenho em atenção são as relacionadas com os pequenotes, pois é preciso um cuidado especial em termos pedagógicos, só assim a mensagem pode passar. Com os adultos torna-se mais fácil, mesmo tendo em conta a teimosia de alguns, alicerçada em estereóticos sem nexo algum. Quem me conhece e sabe de algumas das coisas que faço neste âmbito, pois algumas faço questão em não publicitar (no âmbito do mecenato ambiental), sabe que é assim mesmo. Tenho tido várias alegrias quando vejo algumas das crianças que já estiveram envolvidas em algum tipo de acção, ambiental ou educativa, em que eu participei, me vêm ensinar por elas próprias uma coisa muito importante, o facto de menosprezarmos fortemente o potencial delas!

Há poucos dias recebi um vídeo já com alguns anos, mas que desconhecia por completo, tem a ver com o objecto para o qual eu trabalho todos os dias, o ambiente. Mas desenganem-se, aqueles que criticam os ambientalistas, estes críticos após tantas décadas ainda não perceberam algo de muito simples, nós, os ambientalistas, queremos "apenas" que este belo planeta continue belo, só assim poderemos nós continuar a viver aqui, os recursos são finitos e se queremos continuar por aqui, há que reduzir, reutilizar, reciclar e recuperar! Trata-se "apenas" de perpectuar a nossa espécie, pois o planeta Terra por mais mal que façamos vai continuar, com ou sem o Ser Humano.

Um vídeo absolutamente brilhante, honestamente não vão poder dizer que não ficaram tocados com a mensagem: