domingo, 25 de janeiro de 2009

Condeixa-a-Nova: património natural vandalizado repetidamente

É concerteza tarefa ingrata, especialmente para um geógrafo, falar sobre questões como a que agora vos falo. Já tinha notado o vandalismo que ocorria num dos locais mais importantes (no que concerne a locais de interesse geomorfológico) da região de Sicó, mas o facto de ter visto desta vez o mal amado grafitti, mexeu mesmo comigo.
Denominado como Vale das Buracas ou Buracas do Casmilo, em Condeixa-a-Nova, este local tem enorme importância em termos científicos, arqueológico e cénico, mas a abertura à poucos anos de um caminho, dito florestal, alterou para pior um local simplesmente belo, como são as Buracas do Casmilo. Por vezes, mesmo que sem intenção, abrem-se estradas que facilitam demasiado o acesso a locais como este, acontecendo logo de seguida acções de vândalos como as observadas na fotografia abaixo, algo de profundamente lamentável.
Muitas vezes nem falo de locais como este precisamente para evitar que muitos saibam da sua existência, algo que nós investigadores por vezes somos obrigados a fazer para permitir a sua protecção.
Os acontecimentos ocorridos poderiam ter sido evitados se existisse uma estratégia de geoconservação, a qual permite não só a protecção de locais como este mas também uma planeamento cuidado destes locais, permitindo as visitas sim, mas de uma forma condicionada (tendo em conta a capacidade de carga deste local). Nesta temática estou perfeitamente à vontade, já que a minha dissertação de mestrado versou precisamente nesta questão, a valorização e divulgação de locais de interesse geomorfológico.
Fica então a nota quer à Junta de Freguesia do Furadouro, responsável pela preservação deste local, quer também à própria Câmara Municipal de Condeixa-a-Nova.
Complemento com um facto importante, o de quem eu não só critico construtivamente o que há para criticar, como também posso ajudar a resolver algumas destas questões, fica a nota importante, pois não basta criticar ou chamar a atenção, há que nos mexermos!




Sem comentários: