sábado, 18 de outubro de 2014

A caca da caça...


Fico entristecido por, de forma recorrente, ter de falar deste tema. Fico feliz por nos últimos anos o número de caçadores ser cada vez menor, especialmente tendo em conta o facto de muitos deles terem prazer em vandalizar tudo aquilo que encontram à frente. Seria importante todos os caçadores terem de prestar provas, de modo a que anormais como aqueles que fazem o que consta na fotografia acima, e ocorrido em Penela, fossem detectados e impedidos de pegar numa espingarda.
É certo que nem todos os caçadores fazem asneira, conhecendo eu alguns que respeitam, no entanto nunca ouvi um destes dizer que deu uma lição a algum caçador menos respeitoso. Já vi algumas boas acções de caçadores, no entanto a maior parte delas tem segundas intenções, vulgo greenwash!
Há umas semanas, ao voltar ao local de um incêndio, ocorrido em 2012, em Alvaiázere, deparei-me com algo preocupante. Na altura estranhei que, sob o falso pressuposto do combate ao incêndio, se rasgasse um estradão pela colina do Castelo, precisamente no seguimento de uma estrada ilegal, aberta por uma empresa de extracção de pedra (denunciei o caso às autoridades nessa altura). Agora, ao voltar ao local, constatei que a única acção ali feita, depois do incêndio, não foi prevenir incêndios, mas sim plantar umas quantas placas alusivas a um campo de treino de caça. O que tem a Associação de Caçadores de Alvaiázere a dizer sobre o caso? O que tem a Câmara Municipal de Alvaiázere a dizer sobre esta situação, tendo em conta que, tal como o faz para outras associações concelhias, transfere anualmente alguns milhares de euros, através de subsídios (directos e/ou apoio a batidas ao javali), para aquela Associação?


Sem comentários: