terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

O Rio Arunca a duas velocidades


Foi com bastante agrado que constatei o facto. Há vários meses que andava para voltar novamente às margens do rio Arunca. Penso que a última vez que andei por este sector do rio foi aquando do curso de monitores do Projecto Rios, já há algum tempo, tendo nós andado por aqui na parte prática.
O carro ficou à entrada de Pombal e fui a pé, de forma a percepcionar a cidade da melhor forma possível, notando assim aqueles pormenores que importa reter.
Um aspecto negativo é que, apesar da ciclovia, há uma barreira concreta entre a ciclovia e a cidade, ou seja não está facilitada a mobilidade entre o centro da cidade e a ciclovia. Falta fluidez à coisa...
Há a cidade, há o sector intermédio, e há a ciclovia, faltando então uma conjugação entre todas elas. Para quando um plano centrado na mobilidade sustentável para a cidade de Pombal? Para quando o fecho do trânsito na parte nobre da cidade?
Precisamente no local que a primeira fotografia documenta, faz-se a transição para a melhor parte da coisa. Três sectores bem diferenciados e devidamente compartimentados, ou seja carros, bicicletas e pedonal. As margens do rio Arunca estão despidas de betão, que a jusante dali não deixa respirar as margens do rio. Vi logo adiante uma bela ave, a qual era tímida e quase que fugiu à fotografia.
Indo até ao fim da ciclovia fiquei bastante agradado com quase tudo o que vi, penso que foi conseguido um bom compromisso para este sector do rio Arunca.
Confesso que fiquei maravilhado com a inclusão deste "elevador para peixes", facto de grande importância para o ecossistema ribeirinho. São poucos os que compreendem o valor deste "elevador".


Gostei destes "miradouros", no entanto têm algumas falhas. A maior será a falta de uma protecção lateral, pois esta claramente não é suficiente, especialmente quando estão crianças por perto. Mais uma barra ao meio deve mitigar o perigo para as crianças. Penso que um ou dois pequenos bancos de cimento fariam ali sentido, permitindo aos utilizadores uma vivência diferenciada num local bem agradável.
Parece-me também que faria sentido pensar nuns painéis informativos, já que importa descrever alguns dos valores ali presentes, caso das galarias ripículas. Mas não só...


Um espaço bem agradável, com parque de merendas e parque para crianças. Querem melhor desculpa para sair de casa com os pequerruchos? Querem melhor desculpa para uma caminhada após o almoço ou jantar?


Por mais que se tente explicar, há sempre pessoal, novo e menos  novo, que utiliza uma ciclovia para andar a pé. Neste caso não há que enganar, pois está bem sinalizada e os espaços estão bem delimitados. Quando passarem de bicicleta por esta ciclovia e virem alguém a pé na mesma, carreguem na campainha. Se não tiverem, comprem, pois dá muito jeito. 


E como é, infelizmente, de esperar, eis o típico vandalismo, possivelmente perpetrado por meia dúzia de garotos que pouca educação têm em casa. Um par de estalos era pouco..


Sem comentários: