segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Quintas de Sicó


São muitas e belas, representando um importante património arquitectónico e histórico da região de Sicó. Refiro-me claro às muitas Quintas disseminadas por esta bela região, algumas delas ao abandono...
Esta será uma de várias referências que farei este ano sobre esta pertinente temática, tentando ser abrangente no que concerne à representatividade das Quintas da região de Sicó. Contudo não irei fazer referência à localização das mesmas, já que com a ladroagem que por aqui anda, há que salvaguardar determinados valores.
Uma das muitas coisas que me impressiona, pela positiva, é a beleza de muitas destas Quintas, daí este meu interesse por esta temática. No entanto não é só a beleza arquitectónica e a componente histórica que me interessam, é também o potencial que algumas destas Quintas representam no contexto turístico de Sicó. 
É certo que algumas destas Quintas têm dono e que as consegue manter, não sendo nestas que me pretendo centrar. Outras estão ao abandono, algumas vezes por estarem em processo de partilhas, o que quase sempre representa um problema que se arrasta por demasiado tempo, levando até à ruína de algumas destas. 
Vejam bem os belos exemplos que temos por esta bela região e depois questionem-se se vale ou não a pena pugnar pela recuperação e valorização destas belas Quintas!
Destes 3 exemplos, e como podem observar, uma das Quintas felizmente está conservada, enquanto que as outras duas nem por isso.


E chegamos então ao que mais me interessa, aquelas Quintas que estão à venda. Há meses atrás destaquei o exemplo de uma Quinta que estava à venda no site de uma imobiliária, o que me preocupou seriamente, já que o que constava no anúncio era realmente preocupante.
Por mais que tente compreender, não consigo fazer entrar na minha cabeça porque é que em vez de se potenciar algumas destas Quintas, com a ajuda de fundos comunitários, se "mata" estas Quintas com planos de especulação imobiliária. Por outro lado surgem projectos que eu considero criminosos, onde se lançam ideias para hotéis VIP a criar (hipoteticamente...) em áreas serranas que para todos os efeitos são áreas protegidas. Parece que não há ideia nem dinheiro para recuperar algumas destas Quintas, mas já os há para construir de raíz em áreas protegidas, mais precisamente em área de Rede Natura 2000, Reserva Ecológica Nacional e áreas de grande valor cénico. Parece que não há vontade para recuperar, mas há muita vontade para retalhar os terrenos adjacentes a algumas destas Quintas, enviando-os para as garras de alguns interesses predatórios que não interessam ao interesse público...
Não é novidade que não damos o devido valor ao património da nossa região, mas mesmo assim farei questão de tentar de alguma forma dar um breve contributo para a mudança de mentalidades e para a responsabilização de quem nos (des)governa. Como alguém disse um dia, só gostamos do que conhecemos e consequentemente só poderemos estar preparados para proteger e valorizar o que conhecermos!
Não faço ideia de quantas Quintas existem na região de Sicó, no entanto sei que há bastantes, algumas maiores que outras. Não é a grandeza destas que as faz bonitas, é sim a sua beleza arquitectónica e a sua história, o que pode representar alguns séculos de história em alguns casos. Por isso, sejam maiores ou menores, o importante é valorizar estas Quintas em todos os aspectos que lhe estão associados. Irei partilhar com todos vós alguns exemplos que já conheço e outros que concerteza irei conhecer, já que afinal além da partilha de conhecimento, o azinheiragate também está sempre a aprender. O saber não ocupa espaço!



Sem comentários: