sexta-feira, 4 de setembro de 2009

BTT sem regras destrói o património da região de Sicó!

É um tema que me anda a incomodar já há demasiado tempo, e por isso destaco agora algo que interessa a todos os que não só gostam da região de Sicó, mas também praticam um desporto que tem crescido de forma exponencial nos últimos anos, algo que tem começado a levantar um sem número de problemas...

O BTT é um desporto fabuloso e a região de Sicó também o é, mas noto que nos últimos 3 a 4 anos esta associação tem tido impactos bastante negativos, não pela prática deste desporto em si, mas pela falta de regras que tem levado a uma exploração abusiva de provas de BTT que visam, para alguns, apenas o lucro financeiro. Esta nota deve-se a algumas provas, organizadas na região de Sicó sempre pela mesma pessoa, que costumam ter mais de 500 participantes (ou 1000...), será isto racional? Infelizmente costumam até ser apoiadas por algumas das Câmaras Municipais e Juntas de Freguesia da região de Sicó.

A resposta é simples, NÃO! O motivo é simples, há áreas sensíveis do ponto de vista ambiental que não se coadunam com tamanha barbárie que é a passagem de tanta gente num determinado local em tão pouco tempo. Em estudos ambientais há uma coisa chamada de capacidade de carga, significando isto que num determinado local não deverão passar mais do que X número de pessoas. Apliquem este raciocínio a algumas áreas mais sensíveis da região de Sicó.

Penso que o melhor exemplo do que falo, podem observar num vídeo no youtube, onde numa destas provas se assiste a um cenário pouco aceitável, todos ficaram a perder, o património e os participantes da prova:


Reparem mais ou menos aos três minutos deste vídeo o cenário que se assiste, será que é isto que se pretende numa prova de BTT que supostamente visa divulgar as belezas da região a pessoas de várias regiões de Portugal? Será que isto é um bom exemplo do que temos para oferecer?

Mostro este exemplo em particular apenas e só porque não encontrei o vídeo de outra prova onde a mesmíssima pessoa esteve por detrás e que se realizou no Vale dos Poios, local que devia estar protegido a este tipo de barbárie desportiva que apenas ajuda à depradação de alguns dos locais mais bonitos da região. Não tenho nada contra a pessoa que faz isto, apenas tenho contra o seu comportamento face ao exposto, curiosamente até conheço a pessoa em causa...
Confesso que, por vezes, é pouco confortável falar de temas que podem ferir as susceptibilidades de pessoas amigas (tenho muitos amigos que praticam BTT e que podem ficar algo incomodados com este comentário crítico, mas construtivo), mas temos de separar o trigo do joio!
São muitos os maus exemplos, uns piores do que os outros e a variadas escalas, mas todos eles têm em comum o facto de a sua organização deixar muito a desejar em termos desportivos e mesmo legais, já que sendo alguns deles em Rede Natura 2000 carecem de autorização por parte do ICNB.

Uma das formas que eu proponho para se resolver este problema é muito simples, permitir apenas que pessoas devidamente credenciadas por entidades como por exemplo o ICNB pudessem organizar este tipo de provas desportivas.


Esta foto mostra precisamente outro dos problemas (além da passagem dos participantes), a abertura de troços "especiais" para provas deste género. Abertura esta que deixa apenas locais sensíveis do ponto de vista ambiental (e protegidas...) vulneráveis à degradação acelerada, algo que é completamente inaceitável!
Relativamente a esta última foto, já falei com os responsáveis a alertar para a ilegalidade desta acção em particular, vi que houve alguma receptividade e algum mea culpa e ofereci-me para ajudar profissionalmente nesta complexa questão, a ver vamos o futuro...
Não vamos deixar a região de Sicó sofrer com estes abusos, ou vamos?! Fica o alerta...

Sem comentários: