sexta-feira, 10 de maio de 2019

Os porcalhões, a poluição e o rio Nabão


Logo que a obra ficou terminada, cedo os ansianenses, e não só, começaram a desfrutar das margens do rio Nabão, em Ansião. Com a fruição vieram os problemas do costume, vandalismo e falta de civismo. Luzes partidas no sector da nascente, mais desprotegido, e lixo na ribeira, bem como mesas mandadas para a ribeira. Infelizmente isto continua a acontecer.
Certos porcalhões continuam a mandar resíduos para a ribeira, tal como se observa na primeira fotografia. Onde isto acontece mais vezes é ao pé do telheiro onde o pessoal pode picnicar nas mesas e grelhar a chicha ou o peixe. Se alguma vez virem alguém a mandar algo para a ribeira, não se calem. Eu, se o vir não tenho qualquer problema em chamar de porcalhão ou porcalhona, pois é algo que mexe com o/a visado/a.
Depois há outra questão, a da poluição química, facto que além de eu já ter observado, já por mais que uma vez fui contactado para comunicar o facto. Esta segunda imagem veio de uma dessas pessoas, à qual eu agradeço o envio. Há que identificar possíveis focos de poluição, de forma a punir quem faz dos cursos de água o seu caixote do lixo ou uma sarjeta!
Resumindo, estejam atentos a este tipo de situações, a bem da nossa saúde, da nossa qualidade de vida e a bem de Ansião. Há que mudar as mentalidades de alguns que teimam em se manter na idade da pedra. Eu estarei por aqui para isso mesmo, trabalhando activamente em prol da literacia ambiental e cívica.


Sem comentários: