sexta-feira, 26 de junho de 2015

A sério?!


Sendo eu uma pessoa ligada à questão da educação ambiental, sou, por isso, mais sensível a situações que, na minha opinião, demonstram bem um problema estruturante, ou seja as graves falhas na educação das novas gerações. Enquanto cidadão, fico perplexo com o que os próprios pais partilham no seu facebook, de forma completamente aberta (pública).
Descobri esta preciosidade há uns meses atrás, sendo que a guardei para mais tarde utilizar. Não será por acaso que a fotografia em causa está relacionada com o lóbi da caça, neste caso fundamentalista, onde uma criança é colocada num cenário que, na minha opinião, é perigoso do ponto de vista educacional. Mata-se um javali e depois mete-se uma faca na mão de uma criança que é posicionada para a "bela" fotografia. E, claro, coloca-se a efeméride no facebook, disponível a qualquer pessoa, em qualquer parte do mundo...
Que há cada vez menos pais a saber educar os filhos, isso eu já sei, mas a deseducar os filhos?!
Esta situação terá ocorrido em Alvaiázere e, para mim, vindo de quem vem não é surpresa alguma. Mesmo assim fiquei perplexo com esta imagem e com tantos likes. Obviamente que não vou divulgar quem são estas pessoas, mas estou curioso para ver qual a reacção dos mesmos quando derem com este comentário. Possivelmente ficarão incomodados, mas isso é problema seu, já que não fui eu que, publicamente, disponibilizei a fotografia e que expus uma criança de forma que considero irresponsável e eticamente inaceitável.
Com uma educação destas, como é que as gerações mais novas poderão ter respeito por si e pelo mundo natural? Que violência gratuita é esta? Por estas e por outras é que mais facilmente uma criança manda uma pedra a um pássaro, que uma criança esborracha com o pé uma lagarta. Por estas e por outras é que "adultos" têm prazer em atropelar animais, em atirar a tudo o que mexe, mesmo espécies protegidas. Por estas e por outras é que estamos como estamos e damos como exemplo quem não faz estas barbaridades...
E, ironia das ironias, são estas mesmas pessoas que me rotulam como fundamentalista. Quem diria...

Sem comentários: