sexta-feira, 14 de março de 2014

Algum/a biólogo/a ou Eng.º/ª Florestal ajuda a esclarecer a dúvida?


A minha primeira reacção foi mesmo a de pensar que estas lagartas seriam daquelas que andam a devastar os pinheiros (processionárias), no entanto havia algo que me intrigava, é que ali não havia pinheiros (Pinus pinaster), havia outra espécie que, pelo que li também é afectada pelas processionárias. Estas lagartas estavam no topo aplanado de uma serra calcária, onde os lapiás são donos e senhores, portanto ficou a dúvida. Que lagartas são estas, algum/a biólogo/a me consegue dizer? Será um berçário de lagartas do pinheiro?
Apesar de ter ficado com a sensação que seriam lagartas do pinheiro, a cor delas confundiu-me, já que esta não é a cor com a qual estou habituado a vê-las enquanto adultas. Numa segunda sensação, pareceu-me que seriam lagartas juvenis, daí a sua cor diferenciada daquelas que estou habituado a ver.
Não procurei muito, mas pelo menos numa extensão de algumas dezenas de metros quadrados, havia dezenas de aglomerados de lagartas como estes na fotografia. Seriam várias centenas de lagartas, quiçá milhares, daí eu ter ficado intrigado com este cenário, restando agora saber se pertencem à fauna local ou se são invasoras. Se forem locais, o que não me parece, tudo bem, agora se forem invasoras, o que me parece, então temos aqui um problema grave, muito grave. Não é novo o facto de que a região de Sicó, mais concretamente o seu pinhal, está francamente ameaçado pela lagarta dos pinheiros, tendo até já havido polémica acerca da melhor forma de combater esta ameaça. Uma Associaçao Florestal aqui da região até já se recusou a combater a lagarta do pinheiro por discordar com o modo de acção proposto pelas entidades públicas com responsabilidade na matéria, mas isso dá para um outro comentário.
Uma coisa é certa, se se confirmar que estas são lagartas do pinheiro, no próximo ano já sei onde é o berçário, sendo assim fácil ir lá e riscar do mapa alguns milhares de lagartas. Estou curioso para saber se as minhas galinhas podem comer estas lagartas, caso não possam uma bota resolve. É preocupante constatar que havendo cada vez menos pinhal, a favor do invasor e predador eucalipto, o pinheiro esteja cada vez mais ameaçado por um outro invasor. Aparece um invasor que reduz a área de pinhal, depois aparece outro e fustiga os que ainda restam, é a ironia das ironias...
Agradeço desde já quaisquer ajuda no esclarecimento desta questão!

Nota: foto datada de Fevereiro de 2014, sensivelmente no início da segunda quinzena do mesmo.

2 comentários:

Carlos Franquinho disse...

Olá João Paulo.
São da mesma família mas não são processionárias do pinheiro (Thaumetopoea pityocampa). As da foto parecem ser Thaumetopoea herculeana. São nativas e, à partida, não devem causar grande problema. Alimentam-se de malváceas/Cistus e de gerânios.
http://www.pyrgus.de/Thaumetopoea_herculeana_en.html

João Paulo Forte disse...

Imensamente agradecido, caro Carlos Franquinho. Nada como aprender com quem sabe!