terça-feira, 5 de novembro de 2013

Um cenário medronho na região de Sicó


Lembro-me de, nos tempos de escola, comer uns quantos medronhos nos muitos medronheiros que populavam a mata municipal de Ansião. A escola era (e ainda é) ali mesmo ao lado, portanto nada mais natural do que, nos intervalos ou horas vagas, esticar o braço e pegar uns quantos medronhos. Havia pessoal que abusava, mas eu comia apenas meia dúzia. Hoje em dia há menos medronheiros por ali...
Lembrei-me de abordar esta questão por dois motivos, os quais estão encadeados. Há alguns dias fui dar um breve mergulho pelo território Sicó, até que me deparei com uns medronheiros muito solitários. A cor vermelha não enganava e o carro lá teve de parar para uma investida no medronho. Uma semana antes tinha feito o mesmo num outro local, de onde apanhei quase 1kg para fazer doce de medronho.
É um facto que a área afecta ao belo medronheiro tem sido reduzida nas últimas décadas, facto que considero preocupante, ainda mais sabendo que esta derrota é uma vitória para o eucalipto.
Poderia ter tirado esta foto com os medronhos na árvore, sendo assim uma fotografia mais "estética", mas preferi tirar a foto com os medronhos no chão, votados ao abandono e desprezo. Não serão estes um recurso que temos ostracizado em prol de um futuro dito desenvolvido?
Porque é que, sendo esta uma região tão rica sobre os mais variados domínios, teimamos em deixar estas mais-valias a apodrecer no chão? Fica a questão, para reflexão...

1 comentário:

anA disse...

Bom Dia
E eu a comprar medronheiros para plantar no meu terrenozinho.
Gostei de saber que 2015 é o ano internacional dos solos.
Cheguei aqui(blog) pela procura de informação sobre as grutas Soprador do Carvalho e fiquei a conhecer o que não imaginava.
O seu apelido é Forte e parece-me bem apropriado.
Obrigada.Voltarei
anA