sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

O crime da privatização da água...


É uma questão que mais tarde ou mais cedo vai chegar em força à região de Sicó, falando eu, claro, da mais que polémica privatização da água, esse bem de valor inestimável.
Nas últimas semanas tem-se falado muito desta questão nos meios de comunicação social, tendo sempre por base uma forte contestação por parte dos cidadãos. Há já exemplos que mostram, no concreto, como interesses privados se sobrepõem ao bem público e universal que é a nossa água. Paços de Ferreira é o perfeito exemplo do que afinal resulta de uma privatização da água. A esmagadora maioria das pessoas está descontente, para não dizer furiosa, com algo que beneficia apenas e só interesses privados, quando deveria beneficiar o interesse público. Odivelas é o exemplo mais recente, e segue exactamente na mesma linha escandalosa. Aumento dos preços, para variar...
Hipoteca-se o futuro de todos só para beneficiar lóbis predatórios, numa jogada que eu considero criminosa. Desde já deixo bem claro que considero todos aqueles que estão na equipa da privatização do recurso água, como criminosos, pois é mesmo isso que se pode chamar aqueles que se apoderam daquilo que é de todos nós e não apenas de alguns iluminados. São jogos políticos, da porca da política, que permitem isto, interesses de gente poderosa que brinca com o nosso futuro enquanto a maioria de nós deixa andar. É a máfia da água, puro e duro.
Falando em termos de autarquias, desconheço a posição da maioria dos autarcas, apenas conheço a posição de Narciso Mota, que é contra a privatização da água. Importava que cada um de nós começasse a indagar sobre o que pensam os nossos autarcas sobre a privatização da água na nossa região, pois isso vai adiantar a discussão quando, inevitavelmente, ela acabar por chegar.
São tempos difíceis, em que os lóbis aproveitam para se apoderar de tudo aquilo que sabem que é estratégico, englobando-se aí o sector da água. Estes lóbis aproveitam a nossa passividade para de um momento para o outro se apoderarem daquilo que é nosso e não deles.
Lembro mais uma vez que a água é um dos elementos essenciais à vida na Terra, daí a necessidade do mais rapidamente se lançar o debate na região de Sicó. Não há que enganar, a resposta à privatização da água só poderá ser um redondo não. E não se deixem cair na conversa do bandido, que não há dinheiro e que privatizando se vai encaixar uns milhões, os quais servem sempre para... pagar dívidas. E depois das dívidas pagas, o que resta? Para o BPN houve dinheiro e para o que é realmente importante não há?!
Não é preciso ser especialista para entender a importância desta questão, todos o sabem. Eu apenas junto o melhor de dois mundos, o conhecimento da escola da vida e o conhecimento dos livros, aproveitando o facto de, com o azinheiragate, ter muita visibilidade, a qual aproveito não em meu benefício mas sim em benefício do património da região de Sicó.
A água é do património mais valioso que temos, daí eu, com este comentário, estar a tentar construir pontes, as quais permitam que o conhecimento circule entre todos, o que naturalmente é uma chatice para os lóbis. O acesso à água é um direito elementar e não um privilégio! Ser-se passivo no exercício da cidadania é o pior que podemos fazer, já que leva-nos sempre por maus caminhos, tal como aquele que Portugal atravessa agora...
Mesmo para terminar, e pegando na questão da cidadania, eis um de muitos exemplos de como facilmente podem ajudar a impedir da privatização da água:
https://signature.right2water.eu/oct-web-public/?lang=en

Sem comentários: