sexta-feira, 21 de setembro de 2012

A intemporal Sicó...



Há lugares mágicos, onde o tempo parou há décadas atrás. Felizmente que na região de Sicó ainda há desses lugares mágicos, onde, chegados lá, paramos num tempo que não é o nosso.
Há semanas atrás, tive o privilégio de conhecer um destes lugares mágicos, o qual não irei divulgar tendo em conta a necessidade de proteger a magia do lugar. Pode parecer injusto eu guardar segredo sobre a localização do mesmo, mas como bem sei, é a melhor coisa que posso fazer de modo a o proteger de pessoas que poderiam vandalizar. Estas duas fotografias são apenas um pequeno exemplo de algo maior (muito maior!) que por ali existe.
Quem realmente gosta da região de Sicó, conseguirá mais tarde ou mais cedo descobrir este e outros lugares, autênticos museus associados à evolução humana. Isso pode acontecer por duas formas, ou num qualquer "mergulho no território" num dia qualquer, onde por mero acaso acabamos por nos deparar com algo importante, ou através de uma das muitas pessoas que, tal como eu, gosta da região de Sicó e decide partilhar parte do seu conhecimento. Eu fui bafejado pela sorte, pois houve alguém que me apresentou ao lugar onde tirei estas e outras fotografias, o meu muito obrigado por isso mesmo!
Decidi abordar esta questão por um motivo muito simples, o de que andamos a perder há demasiado tempo muito daquilo que afinal nos trouxe onde hoje estamos. Não valorizamos muito daquilo que realmente é importante, e quando digo que se deve valorizar, não é a muitas típica valorização de pendurar objectos antigos nas paredes para nos lembrarmos de algo passado. A valorização é muito mais do que isso...
Eu sei que estas palavras são curtas, mas o objectivo passa mesmo por palavras curtas, as quais têm como intuito estimular a discussão em redor daquilo que é realmente importante, o nosso património, renegado por alguns em prol de um não património, que é supérfluo e inconsequente!


Sem comentários: