sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Sicó: uma paisagem cultural nas ruas da amargura


É um tema tanto belo como complexo de debater. Vou tentar começar pelo mais óbvio, a definição de paisagem cultural:

Paisagem cultural:

"Áreas, constituindo espaços suficientemente característicos para serem objecto de uma delimitação topográfica, nas quais existem simultaneamente elementos do património cultural e do património natural, com valor excepcional do ponto da vista da história, da ciência, da estética, da tecnologia, da antropologia, da conservação ou beleza natural."

Fonte: Categoria do Património Mundial, criada em 1992 – UNESCO

Associar a região de Sicó à noção de "Paisagem Cultural" é algo que eu considero perfeitamente natural e sobretudo fundamental, pois Sicó é efectivamente uma paisagem cultural. Para mim, enquanto cidadão e geógrafo que sou, é uma  paisagem cultural de grande relevância no contexto nacional, dada a intrínseca ligação do povo ao seu território ao longo de vários séculos, moldando-o de uma forma peculiar. Desta ligação resultaram elementos culturais fantásticos. Temos um património natural extraordinário, temos uma história não menos extraordinária, mas não temos quem reconheça isto mesmo de forma concreta e efectiva.
Tenho sinceramente pena que quem nos governa não tenha dado até agora efectiva importância à paisagem cultural de Sicó, pois esta paisagem é, ainda, um recurso notável. Se calhar não lhe dão importância porque isso mexe com as suas protegidas pedreiras, eólicas e muito mais...
Envergonha-me que um autarca aqui da região, um dia me tenha dito que só cá vinha quem nunca tinha saído daqui. Foi uma afirmação que na altura me chocou pela sua leviandade e ignobilidade, mais tarde compreendi o porquê...
Para quem, como eu, já teve a felicidade de conhecer 14 países em 5 anos e já viu muitos locais e culturas extraordinárias (a grande maioria através de viagens de trabalho), consegue aperceber-se que Sicó é um tesourinho que ainda vai resistindo. Sicó é linda e não deixem denegrir esta bela região, pois caso o façam estão apenas a "dar o ouro ao bandido". 
Infelizmente a paisagem cultural de Sicó tem sido desvirtuada por interesses predatórios e ignóbeis, mas mesmo assim esta mesma paisagem persiste! Está fragmentada mas ainda subsiste, faço questão em sublinhar isto.
A foto que vêm mais acima é apenas uma das muitas formas que se podem salientar quando falamos em paisagem cultural. Muitos dos mais velhos reconhecem facilmente aqueles pequenos muros de suporte, os quais estão implantados em vertentes declivosas onde alguém um dia se lembrou de plantar a bela da oliveira, moldando assim a paisagem.
Como sugestão, apelo a todo/as aquele/as que não costumam ir ao topo da serra (ou colina...) que um destes dias ganhem coragem para deixar os chinelos em casa e em vez de irem para o café, vão dar um belo passeio para desfrutar a paisagem cultural de Sicó. Garanto-vos que vão ter muitas surpresas!
Para aqueles já que já o fazem, como eu, há muito tempo, continuem, pois o reconhecimento desta região  consegue-se, entre outros, com o nosso know-how e com a partilha das nossas experiências de vida nesta região, a qual nos moldou o carácter no bom sentido, fazendo de nós melhores pessoas. 
Voltarei a esta questão em breve, pois há muito, mas muito mais para falar e debater sobre a paisagem cultura de Sicó. Há que picar as mentalidades a ver se elas acordam...

Sem comentários: