quinta-feira, 20 de maio de 2010

O desvirtuar de um produto regional outrora de excelência


O facto de apresentar este poster já numa data posterior ao evento referido é propositado, pois há que reflectir sobre um tema extremamente importante para a região de Sicó, o queijo Rabaçal.
Confesso que aprecio imenso o queijo, especialmente queijo da região de Sicó. Gosto particularmente do queijo fresco, mas o queijo conservado em azeite também não é nada mau... Sei onde posso comprar o verdadeiro queijo e de vez em quando lá vou comprar uns quantos.
Infelizmente a qualidade deste produto regional tem caído consideravelmente, qualquer apreciador de queijo da região de Sicó consegue discernir isso mesmo. A razão é extremamente complexa, mas a génese é a mesma de sempre, a ingerência da política em assuntos para os quais esta não possui know-how.
É um problema estrutural não só do país, a região de Sicó não é excepção, mas estamos aqui para falar da nossa região. Algo que infelizmente tenho de repetir vezes e vezes quando vou a eventos lá fora relacionados com a minha profissão, quando questionado sobre as causas do insucesso de uma região com uma riqueza notável, é o facto de esta ingerência política deitar por terra muitas medidas de base, da promoção da região, de entre as quais se pode e deve incluir a questão deste produto regional, outrora de excelência.
Comparando o sabor deste queijo nos últimos anos, nota-se claramente que há algo que não bate certo, pois quando a matéria-prima é boa o produto não baixa de qualidade. Importa saber a razão do decréscimo da qualidade de um produto que anda a ser desvirtuado há alguns anos...
Outro dia tive o prazer de falar sobre esta questão com um presidente de junta aqui da região, felizmente que nem tudo está perdido e que ainda há pessoas que sabem, muito embora depois infelizmente não tenham voto na matéria em sede de decisão.
O balanço é deveras simples, há matéria-prima que é externa.... Como se pode então considerar um queijo que, por vezes, é feito com matéria-prima que vem de fora da região, será isto verdadeiramente um produto regional?
A política cedo começou a errar, começando a fazer a casa pelo telhado, em vez de começar pelas fundações. Houve situações na região onde com fundos comunitários se construiram significativas infraestruturas, geridas curiosamente por pessoas ligadas à política, infraestruturas estas que também curiosamente mais tarde fecharam.... Criaram-se confrarias, quase que apenas para fazer brilhar alguns políticos, Engenheiros e Dr.`s, e pouco mais...
Afastaram-se os produtores locais, obrigando alguns a desistir para alguns oportunistas assumirem o seu lugar, esquecendo-se que lhes faltava o know-how que tornava este queijo uma jóia regional. Não se apostou nas pessoas que se devia, aquelas pessoas de idade que apesar de ainda utilizarem métodos algumas vezes pouco higiénicos, lá faziam o verdadeiro queijo do Rabaçal. Bastaria dar-lhes formação e fazer com que muitos destes servissem como mestres para os mais jovens que poderiam pegar no negócio e fazer dele algo melhor.
Posso afirmar sem quaisquer dúvida que a estratégia deste produto regional falhou redondamente, algo que poderia estar no mercado nacional e internacional como um produto de excelência, está afinal no mercado como um produto com nome mas com pouco conteúdo. Algum marketing, mas o conteúdo não corresponde à "embalagem"....
É uma triste sina da região de Sicó, tem-se todas as condições para efectivar esta região como uma de maior valia nacional, devidamente reconhecida, mas está-se aos poucos a depauperar todo um património que ainda é riquíssimo. Infelizmente muitos dos mestres do património, como é o caso do queijo, em poucos anos irão desaparecer e com isso muito do know-how regional. Não se dá a devida atenção ao que é mais importante, a sabedoria ancestral....
A última feira do queijo Rabaçal que fui, foi uma das primeiras, desde lá o sabor já não é o mesmo, será que vamos continuar a aceitar isto?!

Sem comentários: