quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Vergonha ou embaraço, eis a questão!

Esta é uma imagem que deita por terra as afirmações de algumas entidades nacionais oficiais de que já não existirão lixeiras a céu aberto, a imagem vale por si mesma.
Este é apenas um dos muitos exemplos existentes na região de Sicó, o caso que esta e a próxima foto documentam situa-se na Cumieira, concelho de Penela, mostrando, infelizmente, a insuficiente atenção que é prestada ao carso neste concelho.
Decidi dar visibilidade, em especial, a este caso por vários motivos, mas o principal deve-se aos factos que agora irei descrever.
A escassos 100 metros deste local situou-se durante vários anos um depósito ilegal de pneus, onde inclusivamente queimavam alguns, algo de inaceitável. A Câmara Municipal de Penela posteriormente mandou limpar este local, algo de muito positivo, mesmo que a limpeza tivesse sido superficial, pois basta ir ao local que facilmente se vê que não foi feito nenhum tipo de acção de despoluição dos solos (o que em meio cársico é muito problemático). Além disso ainda se encontram dezenas de pneus de camião espalhados por toda aquela área.
Este local era visível da estrada que liga a Cabeça Redonda à Cumieira, portanto hoje em dia já não se vê nada. Mas o que me incomoda é o facto de esta lixeira que agora vos mostro ficar logo atrás deste antigo local de deposição ilegal de pneus, mas fora da vista dos mais atentos. Porque e que este local continua a ser ignorado pelas entidades com responsabilidade nesta matéria, no caso a Junta de Freguesia da Cumieira e da Câmara Municipal de Penela.
Sei que o caso já se sabe no meio há alguns anos, portanto o que será necessário fazer para que estas entidades procedam à limpeza deste local e ao encaminhamento dos respectivos resíduos, alguns dos quais bem mais poluentes do que os pneus?



Penso que este é um tema bem interessante para o Jornal Região do Castelo pegar em termos jornalísticos, infelizmente há muitos casos que só se resolvem quando começam a ser incomodativos e surgem em força na praça pública local.

Este caso não é único, mesmo à entrada do lugar da Cabeça Redonda, há uma lixeira (daquelas da berma de estrada) que eu já denunciei à largos meses, a qual em vez de ter sido alvo de limpeza tem sido alvo de alargamento. Isto de forma impune, mesmo que esteja à vista de todos, inclusivamente dos fiscais da Câmara Municipal de Penela, os quais passam por este local regularmente.

http://azinheiragate.blogspot.com/2009/07/penela-onde-para-fiscalizacao.html

Caso a Junta de Freguesia da Cumieira ou a Câmara Municipal de Penela necessitem de ajuda, poderei ver o que posso fazer, adiantando já que já falei com uma empresa do ramo para ver a possibilidade de recolha por exemplo das dezenas de para-choques de carros que por ali estão depositados. Falei também com a CRED, uma Associação da Cabeça Redonda, que também está interessada em resolver a situação, ajudando de alguma forma (por exemplo ajudando à retirada dos resíduos).
Como podem ver, além de criticar construtivamente eu tento ajudar à resolução dos problemas (de alguns...) da região de Sicó, por isso não há desculpas para vergonhas como esta, ignorar é um embaraço e não contribui nada para que tornemos esta região num local mais bonito para se viver.
Espero também que a Câmara Municipal de Penela, bem como a Junta de Freguesia da Cumieira se associem à Iniciativa Limpar Portugal, havendo já um pequeno grupo de voluntário/as que precisa de apoio entre outros destas últimas entidades. O apoio destas duas entidades é fundamental para o sucesso desta iniciativa também em Penela.

http://limparportugal.ning.com/group/grupoverde

1 comentário:

Nuno Meireles disse...

Sou Técnica de Ambiente da Câmara Municipal de Penela e fui informada pelo Sr. Presidente, da da existência de um local na Freguesia da Cumieira alvo da deposição incontrolada de resíduos.
Agradecemos desde já a sua contribuição na denúncia da situação e informo que no próprio dia me desloquei ao referido local juntamente com o Sr. Vereador do Pelouro. O local é de difícil acesso e não visível da estrada municipal, no entanto foi possível constatar que ai foram depositados resíduos, maioritariamente, não domésticos provenientes do desmantelamento de veículos em fim de vida. Este tipo de resíduos carece de tratamento próprio, devendo ser encaminhados para operador de gestão de resíduos devidamente licenciado para o efeito.
Os serviços da Câmara Municipal encontram-se a desenvolver esforços para que com a maior brevidade possível, se proceda ao encaminhamento dos resíduos para destino adequado e limpeza da zona em causa.
Paralelamente os serviços de fiscalização irão proceder à averiguação do responsável pela deposição dos referidos resíduos no sentido de actuar em conformidade com a legislação em vigor.
A deposição incontrolada de resíduos é um problema que afecta diversas regiões do nosso País. A sensibilização das pessoas para os efeitos negativos que essas acções poderão provocar no ambiente, é o principal instrumento ao alcance das Autarquias para travar a proliferação de situações como a exposta no seu artigo!
Atenciosamente,
Paula Coelho