segunda-feira, 10 de agosto de 2009

A maior campanha de greenwash da região de Sicó?

Greenwash é uma palavra que já referi há semanas atrás, foi , na altura, uma breve nota sobre o que significava esta mesma palavra sem tradução portuguesa.

Dado o facto de na semana passada ter (re)visto na imprensa regional e nacional algumas referências, a uma situação em plena região de Sicó, que se enquadram na perfeição no espírito de uma campanha de greenwash, decidi agora destacar este belo exemplo de uma situação que visa fundamentalmente branquear acções várias de um autarca que finge literalmente ser amigo do ambiente. Autarca este que não aceita críticas e promove uma política de terra queimada para aqueles que discordam legalmente das suas meras posições...

Faz o que eu digo, não faças o que eu faço é o lema de um autarca que em 2007 mandou abater milhares de árvores protegidas e que depois negou veemente e repetidamente o sucedido. Foi um caso que se revelou ser o início do fim deste autarca sem credibilidade e moral para falar de questões ambientais.
Os mais atentos já repararam que esta dita notícia já foi referenciada há meses atrás, não sabem, no entanto, que esta repetição da mesma notícia faz parte de uma campanha de marketing ambiental enganosa da parte do autarca local, visando criar uma imagem de amigo do ambiente em tempo de eleições....
Greenwash é precisamente isto mesmo, uma empresa ou entidade fazer-se passar por alguém que realmente tem boas intenções no domínio ambiental, quando afinal não as tem, quer-se fazer passar uma imagem politicamente correcta para com isso recuperar uma imagem realmente nada credível. Esta falta de credibilidade não se reflecte apenas no "azinheiragate", mas sim em variadíssimas acções perpetradas pelo autarca local, Paulo Tito Morgado. São vastos os exemplos em que este autarca faz uma coisa e diz outra, destacando eu além do azinheiragate, o caso de outra violação de PDM em Pussos, a questão da pedreira dos Penedos altos, a ideia de construir uma central inceneradora em Alvaiázere, etc, etc.
Esta história tem contornos que faço questão em divulgar, já que como se costuma dizer o seu a seu dono. O mérito desta acção, que visa a plantação de árvores tão importantes como a azinheira e o carvalho, é da Associação de Produtores Florestais de Alvaiázere, mas infelizmente aqui na região a política perverte tudo. Isto porque a Eng.ª florestal que na altura trabalhava nesta associação deixou de trabalhar nesta mesma associação, passando a trabalhar na Câmara Municipal de Alvaiázere no final de 2007 e início de 2008. Desta forma o autarca local aproveitou-se deste facto para usar isto a seu favor e divulgar que o mérito é da Câmara Municipal de Alvaiázere, quando afinal o mérito todo vai para a Associação de Produtores Florestais, a qual já foi considerada há poucos anos a melhor da região centro!
Infelizmente até esta associação sofre as pressões do poder político e com isso perde-se muito, dando eu o exemplo ocorrido em 2007, onde esta associação tinha uma extensa área de colmeias que no primeiro ano produziram mais de 200kg de mel. Exemplo este que deixou de existir em 2008 porque simplesmente foram abandonadas...
Falando agora no projecto em si, considero que é positivo no que concerne à ideia em si, já que no que toca à aplicação e escala do projecto a fundamentação técnica deixa muito a desejar... É muito fácil dizer que se tem 100000 disponíveis para plantar, mais difícil é plantar as mesmas quando na génese do projecto esteve apenas uma campanha de marketing, pois se fosse um projecto credível de plantação de árvores o número seria bem mais reduzido. Basta irem ao terreno e conhecer a realidade para perceber que esta ideia é um gigante com pés de barro.
Mesmo assim os meus parabéns à Associação de Produtores Florestais de Alvaiázere, pela ideia, trabalho e dinheiro investido, e à Câmara Municipal de Alvaiázere também pelo breve investimento financeiro.
Preparem-se, pois nos próximos meses este autarca irá reforçar a sua extensa campanha de greenwash.... Eu estarei aqui para as denunciar de forma correcta e atenta!

Sem comentários: