sábado, 15 de agosto de 2009

CRED, um nome a reter....



Confesso que foi uma surpresa muito agradável conhecer in loco esta nova associação local, a qual tem a denominação de Associação CRED - Cabeça Redonda Eventos e Desenvolvimento. Apesar mesmo de ser uma associação que faz parte das suas actividades fora da região de Sicó, interessa dar conhecimento desta jovem associação, isto porque é uma associação que surge a partir da vontade de várias pessoas de dar a conhecer a sua aldeia. Aldeia esta situada em plena região de Sicó (Penela), numa área extremanente bela do ponto de vista cénico.

Fiquei a conhecer esta nova associação quando fui convidado para uma bela caminhada em redor da aldeia da Cabeça Redonda, seguida de uma bela sardinhada que me soube mesmo bem. Apesar de eu próprio ser uma pessoa que está relativamente bem por dentro da realidade da região de Sicó, vivendo estas e outras experiências, noto desde há alguns anos que associações deste género têm vindo a perder dinâmicas que interessam à região, que fazem parte das "práticas ancestrais" e que contribuem para o bom nome da região.

A participação pública nos destinos da região é um elemento estruturante, infelizmente são poucos os que a exercem. Criar e desenvolver actividades várias na região, como aliás esta associação faz, é um vector de desenvolvimento que importa salientar, por isso destaco aqui esta associação.


Falando agora na caminhada que fizémos, fiquei bastante surpreendido com várias das coisas que ouvi da boca de algumas das pessoas que participaram, especialmente dos mais idosos, os quais se deram particularmente bem pelos caminhos do carso, por vezes bastante exigentes para estas pessoas já de idade avançada. A frase que mais me marcou foi a de «já não passava aqui há mais de 40 anos», frase esta que interessa analisar e discutir.

O abandono a que muitas áreas peculiares da região de Sicó é algo de preocupante, a perca de muitas das memórias dos anciãos da região é um facto que apesar de ser grave, pouco tem interessado a quem nos (des)governa.

Apesar de ser uma pessoa, dita, "do campo", fiquei extremamente sensibilizado com a frase que acima referi e, por isso, quis aqui partilhar com todos aquela/es que se importam com os destinos da região. Estamos sempre a aprender e esta foi mais uma forma de eu aprender mais um bocado, rodearmo-nos destas pessoas é importante, dar-lhes visibilidade também!


Foram mais de trinta pessoas que participaram nesta caminhada, jovens e menos jovens. Alguns dos participantes de idade mais avançada nunca se negaram a um troço exigente, mesmo estando vestidos de forma natural e com calçado pouco indicado para o efeito. Fiquei sinceramente muito contente ao ver este dinamismo, mas fiquei triste ao ver tudo o que de bom se tem perdido naquela área, um património de valor que nos têm roubado.
Mas nem tudo é mau, fiquei também a conhecer algum património que desconhecia e que agora vou tentar preservar com ajuda desta associação e com todos aquela/es que queiram ajudar.

O meu muito obrigado pelo convite que esta associação me fez, aprendi mais umas coisitas com pessoas que se interessam realmente pela sua região, pessoas idóneas e que não cedem às facilidades que hoje temos nos nossos lares. Em vez de ficarem nos sofás a ver televisão vão para a rua divulgar a sua terra, mesmo que tenham de gastar dinheiro do seu bolso com isso. Além disso mostram que apesar de não terem cursos superiores, conseguem fazer bem mais e a troco de zero do que muitos pseudo-intelectuais, com cursos, que pensam que por estarem a trabalhar em entidades da região (com cunha, pois claro) sem mostrar trabalho são gente. Esta é uma crítica a muitas entidades públicas da região, as quais raramente pedem conselhos às pessoas que realmente vivem o território, pessoas estas que não ficam trancadas nos seus gabinetes à espera de umas palmadas nas costas e pelo final do mês....

Para finalizar, considero que apesar desta associação ser muito recente, com muita vontade e algum apoio de todos poderá ter um futuro muito promissor na preservação do património e cultura na área de abrangência da Cabeça Redonda, Penela. Se acarinharmos as pessoas que podem fazer algo pela região de forma apaixonada e imparcial, elas podem ir bem longe...
Se a região de Sicó perder a sua essência todos nos iremos arrepender, portanto mexam-se sff!

Sem comentários: