domingo, 5 de abril de 2009

170 kg de pilhas para a reciclagem!


Sempre ouvi dizer que sozinho não se podia mudar o mundo, mas ao mesmo tempo sempre ouvi dizer que sozinhos também conseguimos fazer muito pelo mesmo, especialmente se tivermos a capacidade para mudar as mentalidades para melhor e mobilizar a sociedade em que nos inserimos.

Este caso que agora vos falo é apenas um exemplo positivo do que podemos fazer se tivermos vontade para isso, já que ando um bocadinho farto das desculpas que alguns arranjam para fugir às suas obrigações. Para poluir há sempre desculpas para alguns, mas para evitar ou mitigar a poluição surgem sempre desculpas esfarrapadas, ou porque o ecoponto é longe ou porque é chato...
Há pouco mais de uma semana enviei para a reciclagem 170kg de pilhas (tenho um protocolo de boas intenções, sem benefícios financeiros, com a ecopilhas http://www.ecopilhas.pt/), para isso contribuí com a prestimosa ajuda dos Bombeiros Voluntários de Ansião, onde está localizado um dos pilhões que tenho à minha responsabilidade, e também de um colega que impediu que parte substancial destas pilhas fosse para o lixo. Destaco aqui que o meu colega trabalha num ecocentro, onde supostamente as coisas são encaminhadas....
É portanto com muita alegria que consegui este feito, impedindo que as pilhas fossem para o lixo! As pilhas são dos resíduos mais poluentes e sugiro-vos que investiguem na internet o brutal impacto que apenas uma pilha pode ter em termos de poluição, especialmente numa região cársica como a de Sicó, onde rapidamente tudo vai parar aos aquíferos. Os metais pesados nas pilhas têm efeitos nefastos na saúde humana, por isso é imperativo que não deitem as pilhas para o lixo, mas sim para o pilhão!
Não me vou alongar mais, queria apenas por último dizer-vos mais um facto importante, o de que quando eu trabalhei na Câmara Municipal de Alvaiázere, por iniciativa própria, pedi cerca de 40 pilhões como os que vêm nas fotos e distribuí-os pelo concelho de Alvaiázere, desde farmácias, correios, até lojas várias. Na altura só havia 1 pilhão no concelho!
Agora pergunto eu, estando os 40 pilhões à responsabilidade da Câmara Municipal de Alvaiázere, o que lhes aconteceu desde então, será que continuam no mesmo lugar (tendo sido recolhidos e substituídos por novos quando cheios) ou será que por ser algo que foi da minha autoria foram também ostracizados? É uma questão que fica no ar....

Sem comentários: