segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Um mea culpa de mim para Penela

Na notícia que que publiquei neste blog a 13 de Janeiro, onde referi um caso ambiental grave em Penela, (http://azinheiragate.blogspot.com/2009/01/um-caso-inaceitvel-em-penela.html), cometi um pequeno erro derivado da análise cartográfica relativa aos limites de concelho entre Ansião e Penela. Quem trabalha com sig´s (Sistemas de Informação Geográfica) sabe bem que por vezes cometemos erros e quando os cometemos resta-nos corrigir o erro, mesmo que sem intenção, pois errar é humano. Quando refiro o local dos factos, referindo-me a Penela, estava a induzir-vos em erro, pois efectivamente é em Ansião (a 300m do limite do concelho de Penela). Fica aqui o pedido de desculpas público pelo sucedido, infelizmente por vezes também erro, mas quando acontece publico o respectivo pedido de desculpas.

No entanto, queria apenas fazer um comentário acerca deste mesmo caso, o qual foi publicado na última edição do Notícias do Centro e que mereceu direito de resposta, na edição nº 87 por parte do município de Penela:

- É óbvio e justo que eu seja chamado à atenção sobre este erro de interpretação cartográfica, não percebendo eu, no entanto, que esta mesma chamada de atenção seja feita de uma forma hostil e exagerada por parte daquele município, não tendo o mesmo entrado em contacto comigo, pois a publicação do texto no Notícias do Centro não se deve a mim (concordando no entanto que todo e qualquer assunto do meu blog seja publicado em qualquer órgão de comunicação social).

- O conhecimento dos limites geográficos do concelho devem ser conhecidos não só por mim, mas também pelo próprio município de Penela, pois o mesmo já cometeu o mesmo erro de interpretação cartográfica aquando da construção do parque eólico de Penela, mesmo tendo em conta que os limites da CAOP são diferentes dos limites presentes na Carta Militar.

- Um eventual manifesto dano para o Município de Penela não existe, pois o meu blog é aberto a todos e não houve, até agora, nenhum habitante de Penela que me tenha chamado à atenção. Chamar a atenção para um erro é justo, mas referir que há manifesto dano para o Município de Penela, para as suas populações e para os respectivos orgãos que o dirigem é manifestamente um abuso não compreensível da parte da autarquia local. Tenho amigos em Penela e já realizei acções de educação ambiental neste concelho, não compreendendo eu então o exacerbar desta questão.

- O meu interesse é acima de tudo divulgar casos graves em questões ambientais e divulgar também os bons exemplos, já o fiz relativamente a Penela e irei continuar a fazer, pois o que me move não são os interesses, é sim a paixão pela terra, pelos seus valores naturais e pela sua identidade cultural. Não penso o território de uma forma redutora, onde os limites administrativos são apenas entraves à correcta gestão territorial. Quando se trabalha com um volume grande de informações, por vezes complicadas, por vezes erramos, algo que é válido para mim e para a própria autarquia referida acima.

- Independentemente deste caso ocorrer em Ansião ou Penela, o importante é que as consequências sentem-se tanto em Ansião tanto em Penela, é pena que a autarquia de Penela não considere este facto, pois o aquífero é o mesmo e não se rege pelas ditas fronteiras administrativas.

-Para terminar, refiro apenas que em forma "compensatória" por este breve erro, irei oferecer à Biblioteca Municipal de Penela conteúdos ligados à temática da educação ambiental, já que infelizmente pouco se aposta neste domínio um pouco por toda a região, estando eu no entanto disponível para ajudar a colmatar esta lacuna.

Sem comentários: