quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Adensam-se as graves suspeitas na serra de Alvaiázere....

As suspeitas começaram muito antes da fase de avaliação pública do parque eólico de Alvaiázere, reforçaram-se na fase de avaliação pública (Julho de 2008) e confirmaram-se na fase de pós-avaliação do respectivo projecto (Fevereiro de 2009).
É certo e sabido o valor internacional da Serra de Alvaiázere (apesar de uma elitezinha intelectual tentar esconder isto...), quer no que concerne ao seu património natural, quer no que toca à existência do maior castro (povoamento) da península ibérica da Idade do Bronze. É certo e sabido que aquela área, em especial, necessita de uma criteriosa atenção, mas que infelizmente tem sido apenas ignorada pelas entidades locais, regionais e nacionais.
Num país democrático, o projecto que surgiu para a construção de um parque eólico neste serra, seria logo à partida chumbado, curiosamente ainda não foi (embora já tenha sofrido alguns revés que irritaram uma pessoa em especial...). Não sou só eu que detectei factos curiosos e gravosos no processo associado a este eventual parque eólico, portanto, como um pesudo político refere eu e muitos outros não somos entraves ao desenvolvimento, somos sim actores locais de desenvolvimento que têm legitimidade para participar nas decisões que afectam, para bem ou para mal, este território (Sicó). Pessoalmente eu gosto de me intitular anticorrupto, pois geógrafo já todos sabem que sou...
Continuando, vários pareceres negativos representativos de centenas de pessoas da região foram entregues na entidade própria, onde aliás descrevemos com precisão o sucedido e expomos as suspeitas que temos sobre o que, de facto, se passa de estranho neste processo, quer no que se refere a factos concretos quer no que se refere a pessoas possivelmente envolvidas num caso que pode envolver, entre outros, alguém ligado à política da alta esfera. Basicamente a coisa está montada para aprovar o projecto sem que para isso haja legitimidade legal e moral, pois o que está em questão é apenas interesse financeiro!
Há alguns ditos inteligentes, que ficam muito ofendidos com estas suspeitas, não sabem sequer o que significa a liberdade de expressão legalmente instituída nesta democracia com mais de 30 anos (pautando-se por valores legais e morais, pois há quem confunda liberdade com libertinagem...), mas felizmente que, apesar de tudo o que de mal se faz neste país, ainda podemos denunciar o que de mal se passa por aqui. O seu problema é que lhes interessa o bem pessoal, pois o bem público está depois, estão onde estão pelo interesse e quem se lhes mete à frente pode ter sérios problemas e ser alvo de ameaças cobardes e ainda por cima supostamente não identificadas.
Não me vou alongar muito nesta questão, pois não quero estragar a surpresa a umas pessoas em especial, mas fico à disposição da comunicação social para qualquer tipo de esclarecimento, pois este tema é demasiadamente interessante para ficar em branco....
Como é que podem sequer pensar em construir um parque eólico numa serra que é protegida por legislação nacional e internacional, com valores insubstituíveis? Ainda por cima há alternativas sem impacto algum, mas como não favorece determinadas pessoas nem sequer se equacionou isso, será coicidência? Não nos parece, de todo...
Brevemente voltarei a este assunto, pois para já quero apenas adoçar a coisa, daqui a pouco tempo este assunto vai surgir de um modo.... abrangente.
Sei que vão haver duas ou três pessoas que vão tentar abafar a coisa, mas felizmente hoje em dia na sociedade global basta um blog para fazer toda a diferença em vários assuntos. Como já muitos sabem, quando eu digo que ali há gato, é porque há mesmo, eu não faço as coisas por menos, pois está o nosso património em jogo, literalmente!

Sem comentários: