domingo, 19 de outubro de 2008

O Centro de Negócios de Ansião e o desenvolvimento regional


Inaugurado à poucos dias pelo Presidente da República, o Centro de Negócios de Ansião é agora uma realidade, por isso mesmo não posso deixar de escrever umas breves linhas sobre a importância do mesmo para e economia da região e o seu significado para as Terras de Sicó.
Ainda me lembro de quando o IC8 estava a ser construído, foram meses de obras que eram muito esperadas pela população, esta via de comunicação era algo necessário e ao longo dos anos mostrou-se como estruturante para os concelhos que eram servidos pela mesma. Obviamente falo mais de Ansião porque vivo à beira do IC8, acompanho há mais de 20 anos a sua evolução e percepciono os seus impactos a vários níveis. No que concerne ao domínio económico noto que foi uma via de comunicação que transformou não só Ansião, bem como todos os concelhos por onde passa, uns mais do que outros.
Ansião beneficiou mais do que outros, tendo algumas empresas estabelecido a sua actividade na zona indústrial do camporês (uma das duas zonas indústriais do concelho). O camporês situa-se numa área estratégica, por isso o seu sucesso enquanto zona indústrial, tendo começado com fábricas como a SNSV, expandido-se depois de forma bastante expressiva.
O "culminar" desta expansão é a criação do Centro de Negócios de Ansião, que apenas peca por tardio, não é preciso ser-se uma mente brilhante para saber que mais tarde ou mais cedo seria importante apostar num espaço estruturante como este, não só para Ansião, mas também para toda a região!
No entanto é de salutar a aposta neste espaço como uma infraestrutura fundamental em termos económicos para toda a região, sendo um pólo que se pode revelar muito frutuoso para todos.

in: http://www.presidencia.pt/?idc=10&idi=21145

Apesar de tudo o que já referi ser algo de bom, refiro agora alguns aspectos que me parecem fundamentais para o futuro e que pretendem acima de tudo alertar para alguns factos que podem impedir que o aproveitamento desta infraestrutura se revele em todo o seu potencial:
- A lógica política destes investimentos pode revelar-se como um entrave ao bom funcionamento dos mesmos. De uma forma pomposa é referido que este investimento é de nível regional, mas quase todos sabemos que estes mesmos investimentos são utilizados como "arma" de arremeço político entre autarcas da região. Em vez de a lógica ser de favorecimento intermunicipal (Terras de Sicó, por ex.) é a lógica das capelinhas, Muitas vezes observamos que os autarcas salientam a lógica do "funcionamento em rede" na região das Terras de Sicó, com todos os seus benefícios, mas depois na prática vemos que cada um defende apenas a "sua capelinha", ou seja, defendem apenas os seus interesses. Isto numa região com características homogéneas.....
Não se pode ter uma estratégia diferente para cada um dos municípios das Terras de Sicó, as características são iguais, mesmo que cada um tenha as suas particularidades!
Idealmente o Centro de Negócios deveria funcionar numa lógica de funcionamento intermunicipal, promovendo e favorecendo "toda" a economia da região. O meu receio é que isto não aconteça, mas o tempo o dirá...
Após a inauguração deste espaço, ocorreu o Biz camp, destinado a jovens desempregados do concelho de Ansião, e consistiu na avaliação do seu perfil de empreendedor. Este é o primeiro exemplo do que refiro, porque não organizar um evento do género para jovens da região? Em vez de avaliar apenas o seu perfil porque não avaliar ideias que alguns já têm?
Outro aspecto deriva de algo que merece atenção, hoje em dia as ditas "zonas indústriais" já estão "fora de moda", ou seja constata-se a sua transformação (em alguns casos) para áreas de serviços, acabando com algumas indústrias pesadas. Não podemos querer só e apenas indústrias poluidoras pelo facto de promoverem o emprego, será que não há outras que além de pouco poluidoras criem postos de trabalho?
E os clusters de novas tecnologias, será que não são importantes? A inovação aproveitando por exemplo algumas escolas tecnológicas é cada vez mais estratégica para a economia, há poucos anos apostava-se apenas em quadros superiores e "ignorava-se" os quadros médios, hoje em dia há falta de quadros médios e os quadros superiores estão muitos deles a ser formados para o desemprego. Tudo isto é dificultado pela (i)lógica da falta de empreendorismo do povo português...
A semana passada desloquei-me ao Centro de Negócios de Ansião, para uma formação que não pude continuar, e fiz uma pequena experiência, fui de bicicleta e não tinha sequer um local próprio para "estacionar" o velocípede, além disso não vi nenhum ecoponto neste belo espaço que é o Centro de Negócios de Ansião. É nestes pequenos pormenores que se vê a diferença...
Brevemente voltarei a falar neste assunto, por agora ficam estas breves linhas que pretendem acima de tudo alertar e chamar à atenção certos pormenores que fazem toda a diferença para o potenciar do sucesso desta infraestrutura!

1 comentário:

Hermenegildo Campos disse...

O Centro de Negócios de Ansião é um astuto esquema de juntar um centro de incubação com um centro de negócios. Não há melhor do que juntar quem está a começar com quem já tem experiencia e maturidade de negócios. Outro bom exemplo em que também foi adoptado o mesmo esquema foi no Ideia Atlantico de Braga (www.ideia-atlantico.pt) - aí foi feito um edificio espectacular, vejam no link as fotos (http://www.ideia-atlantico.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=102&Itemid=161)