quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Programa Director de Inovação, Competitividade e Empreendorismo para o município de Alvaiázere: pequenas considerações

Queria com este post apenas fazer um breve comentário acerca de algo que representa plenamente algo que é incorrecto do ponto de vista técnico, referindo-me eu ao "Programa Director de Inovação, Competitividade e Empreendorismo para o município de Alvaiázere".

Em primeiro lugar coloco a mensagem que nos é disponibilizada quando consultamos o site da Câmara Municipal de Alvaiázere:
«A Câmara Municipal de Alvaiázere solicita o contributo de todos com ideias, opiniões, sugestões e conselhos para a fase final do Programa Director de Inovação, Competitividade e Empreendedorismo para o município de Alvaiázere.
Os interessados poderão fazê-lo para o seguinte endereço:
pd-ice@cm-alvaiazere.pt»

in: http://www.cm-alvaiazere.pt/

Numa primeira abordagem parece uma informação útil, algo que se confirma, mas analisando a questão no seu todo, não posso deixar de criticar veemente e de uma forma construtiva a forma de como foi tratada esta questão. Isto porque num estudo deste género, os actores locais de desenvolvimento, bem como os cidadãos devem ser ouvidos no início e não perto do fim do processo.

Apesar de já não trabalhar na Câmara Municipal de Alvaiázere, prezo-a enormemente e continuo pessoa interessada e sempre disse que estava disponível para continuar com algum tipo de colaboração, mesmo que de forma gratuita, infelizmente até hoje nada me foi questionado, apenas algumas pessoas me pediram ajuda "of the record" num ou noutro ponto no que toca às muitas ideias que eu estava a desenvolver e que após 7 de Março de 2008 pura e simplesmente "morreram"...

Curiosamente continuo à minha custa e de forma gratuita a trabalhar em prol das gentes de Alvaiázere, tendo nos últimos 2 anos ido a 6 eventos europeus mostrar algumas das riquezas de Alvaiázere (tendo também alargado a uma pequena área de Ansião esta minha investigação).
Relativamente a este facto, queria salientar que três das vezes que lá fui fora paguei inteiramente do meu bolso e as outras três foram com bolsas da União Europeu (incentivo a jovens investigadores), só para que não haja confusões. Algumas destas vezes a minha bondade foi enorme, já que apenas e só por boa vontade coloquei o nome da Câmara Municipal de Alvaiázere (não é comum colocar-se o nome de uma entidade que não tem a ver com a nossa investigação), sendo um bocado ingénuo, confesso.... Mas como já sabia que depender de políticos é mau para quem é competente e imparcial, preferi pagar do meu bolso para criar independência entre a minha investigação e a falsa política, revelando-se este facto uma excelente opção pós 7 de Março de 2008! Mesmo assim não me arrependo, Alvaiázere e os seus cidadãos ganharam com isso.
Pessoalmente é algo que gosto muito de fazer e tenho o prazer de anunciar que em Outubro vou deslocar-me de novo lá fora para apresentar num congresso europeu ideias e factos sobre valorização e divulgação de Alvaiázere (e Ansião). Apesar deste facto sei que as minhas ideias vão continuar a ser ignoradas pela classe política alvaiazerense, mesmo que a população as apoie fortemente!

Continuando com o cerne da questão, o importante é que é um erro estratégico os cidadãos não terem tido a oportunidade de se expressar como lhes é pedido agora, por isso esta minha chamada de atenção!

Mesmo assim, considero que quem tenha ideias, opiniões ou sugestões para este plano, se expresse e as envie para o endereço referenciado pela Câmara Municipal de Alvaiázere.

Brevemente irei fazer aqui uma análise aprofundada da questão, mostrando vários pontos que demonstram o porquê da falta de afirmação de Alvaiázere a nível regional, mesmo que a nível das Terras de Sicó seja um dos concelhos com maior potencial em termos de desenvolvimento...

Irei também analisar um ponto fundamental, o porquê de em toda a Terras de Sicó haver jovens com muito potencial, alguns com créditos firmados em várias disciplinas e depois contratarem-se pessoas externas sem knowhow sobre a região e valores associados, para elaborar estudos pagos a preço de ouro. Andamos a perder muita massa cinzenta e a perder cérebros para outras regiões do país, só porque o sr político acha que tem de ser assim e acha que devemos analisar os números com frieza, esquecendo-se de algo fundamental:

- Nem as pessoas nem o património devem ser tratados como números, é necessária sensibilidade em muitas questões fundamentais!
Fico à espera do que vai dali sair....

Sem comentários: